CEU DAS ARTES TERÁ, NO ÚLTIMO DOMINGO DE MAIO, NOVA APRESENTAÇÃO DO ESPETÁCULO “TREIS CAUSO E O RESTO É PROSA” 

CEU das Artes recebe o espetáculo "Treis Causo e o Resto é Prosa", da "Nossa Trupe Teatral".

No último domingo de maio (29), às 19h, o Centro de Artes e Esportes Unificados “Fotógrafo Victor Hugo da Costa Pires” – CEU das Artes, da Prefeitura de Tatuí, receberá mais uma apresentação do espetáculo “Treis Causo e o Resto é Prosa”, da “Nossa Trupe Teatral”.   

Em 45 minutos de espetáculo aberto para todos os públicos, “Treis Causo e o Resto é Prosa” mergulha no universo caipira, apresentando lembranças, causos e costumes que integram o imaginário popular de diversas cidades do Brasil. 

O espetáculo – que tem direção, cenografia e consultoria caipira de Jaime Pinheiro – se passa em uma pequena venda, onde Tonho (dono do estabelecimento), Dito (benzedeiro da vila) e Zé (tocador de viola) jogam conversa fora enquanto aguardam a chegada do caminhão de leite. Durante esse tempo, diversos assuntos vão ganhando espaço, desde o benzimento de animais até histórias de folclore, de sorte e de amor.   

Com a criação e a participação dos atores João Fabbro, Rodrigo Cassiano da Costa e Thiago Leite, a apresentação propõe aos espectadores um convite para conhecer e se encantar com a beleza e a simplicidade de uma tradição cultural tipicamente interiorana, onde estão fincadas muitas das raízes históricas de Tatuí e região.  

“Treis Causo e o Resto é Prosa”, da “Nossa Trupe Teatral”, recebeu recursos por meio do Edital de Cultura n° 02/2021, Concessão de Prêmios Inciso III da Lei Aldir Blanc (LAB); e tem o apoio cultural da Prefeitura de Tatuí. 

O CEU das Artes, local da apresentação, está situado na Rua Ana Rosa Monteiro, nº 475, Vila Santa Helena. 

Sobre a nossa Trupe Teatral – Formada por três atores/pesquisadores, a “Nossa Trupe Teatral” é um grupo sediado em Tatuí desde 2011, tendo como eixo de investigação processos de criação teatral fundamentados no ofício do ator. A Trupe tem verticalizado suas pesquisas em algumas áreas de conhecimento, tais como a linguagem do palhaço, a relação corpo e voz e processos vinculados à pedagogia do fazer teatral.  

O grupo acredita que as práticas artísticas de criação e pesquisa, como micro espaços de reflexão sobre questões latentes na sociedade contemporânea, emergem da trajetória e do anseio por um modo de fazer artesanal, que busca ampliar a compreensão frente a princípios referentes ao trabalho do ator e a relação entre vida/obra/arte. Nessa trajetória nascem os espetáculos: “Seu Bonanza”, “Presentes Memórias de Kaspar Hauser”, “O Pastelão e a Torta” e “A incomum arte de não prestar pra nada”. 

Compartilhe:

Skip to content