Tatuí, a Capital da Música, Terra dos Doces Caseiros, Cidade Ternura…

Tatuí é reconhecida internacionalmente pela sua vocação cultural. A cidade abriga o maior conservatório de música da América Latina. Recebe ainda o título de Cidade Ternura, graças à receptividade de seus moradores. Destaca-se na gastronomia pelos irresistíveis doces caseiros e ganha notoriedade pelos haras e pelo aeroclube que é referência nacional de voo à vela. Mas a cidade de aproximadamente 121 mil habitantes vai além por seu potencial econômico e equipamentos estruturais, que favorecem a instalação de novas empresas e projeta crescimento exponencial ganhando a cada dia a atenção de empresas nacionais e multinacionais.

O município possui uma localização privilegiada, com território de 523,75 quilômetros quadrados. Duas das principais rodovias do estado estão próximas à cidade: a Castelo Branco e a Raposo Tavares. Serve-se ainda da malha ferroviária, com unidades de integração logística. Tatuí está a apenas 130 quilômetros da capital paulista, a 124 quilômetros do aeroporto internacional de Vira Copos, 164 quilômetros do aeroporto internacional de Guarulhos e a 215 quilômetros do porto de Santos.

Nossa História…

A origem da palavra Tatuí vem do Tupi-Guarany e significa “Água do Rio do Tatu”. Passou por diversas grafias diferentes, Tatuuvú, Tatuhú, Tatuhibi, Tatuy, Tatuhy, até chegar à forma atual.

Os bandeirantes, indo para o Sul, foram os primeiros a passarem por suas terras, movidos pelo ímpeto desbravador e explorador. Em busca de tesouros, expulsaram os indígenas que mantinham suas tribos no encontro entre os rios Sorocaba e Tatuuvú (hoje bairro da Barreira), local onde havia o cemitério dos primeiros habitantes da região.

A partir da fundação do povoado de Nossa Senhora Del Popolo, em Araçoiaba da Serra, estruturado a partir da implantação da fábrica de ferro, em 1682, foi desmembrado a faixa de terra hoje pertencente à cidade. A gleba foi concedida aos frades do Convento do Carmo de Itu, em 10 de novembro de 1609. Anos mais tarde, os frades se dividiram em dois grupos, um com sede próxima à freguesia de São João do Benfica e outro em um casarão em frente à Estação Sorocabana – unidade que seria mais tarde transferida para a Avenida Salles Gomes.

As terras seriam mais tarde arrendadas a Antonio Xavier de Freitas e Jeronymo Antonio Fiuza, sertanejos que aqui se estabeleceram. Tendo plenos poderes adquiridos por procuração, sobre as terras do Brigadeiro Manoel Rodrigues Jordão, os dois sertanejos transferiram o povoado de São João do Benfica para o local onde hoje é Tatuí.

No princípio do século XIX, com a fundação da Usina de São João de Ipanema, em 1810 – a primeira fábrica de ferro da América Latina – uma ordem régia proibiu o corte de madeira que não fosse exclusivo à atividade – fato que fez aumentar significativamente o número de moradores de Tatuhu, que passaram a se dedicar à agricultura.

Finalmente, em 11 de agosto de 1826 deu-se início à divisão de terras através de Brigadeiro Manoel Rodrigues Jordão. Com a demarcação do rocio, ocorreu então o arruamento da Rua 11 de Agosto.

Alguns pesquisadores e historiadores consideram o ano de 1822 – e não 1826 – como a fundação de Tatuí, pois acreditam que já havia um distrito constituído. Na data de 20 de setembro de 1861, Tatuí elevou-se a categoria de cidade. Em 26 de outubro de 1877 foi instalada a sua Comarca. Dez anos depois, Tatuí seria uma das primeiras cidades do Brasil a libertar seus escravos mesmo antes da Lei Áurea.

O Hino e sua História…

Maria Ruth Luz e Paulo Cerqueira Luz são naturais de Monte Santo de Minas , onde iniciaram seus estudos. Casaram-se em 1954 e se estabeleceram em Tatuí . Ruth Luz sempre dedicou-se à música, foi professora em várias escolas, em Tatuí e outras cidades do Estado de São Paulo. Paulo , já tendo trabalhado em vários ramos profissionais, estabeleceu-se em Tatuí como comerciante e ainda pintor, ganhando vários prêmios, foi auto-didata e tinha idéias muito avançadas para seu tempo. Gostava de tocar banjo , violão e cavaquinho. O “Hino à Tatuí” foi composto em 1961, homenageando assim, a cidade que bem os recebeu. Algumas outras obras dos autores do hino:

Hino a Caconde
Hino da Escola Estadual "José Tomás Borges"
"Os Meninos Cantores" "Caridade" "Criança, Criança" "Treze de Maio"

Em 10 de agosto de 1964 , a Câmara Municipal de Tatuí aprovou o projeto de lei de iniciativa do vereador Aido Luiz Lourenço , que estabeleceu como ” Hino do Município de Tatuí ” a música ” Tatuí, Cidade Ternura ” (nome original da composição de Ruth e Paulo Luz ). O prefeito Paulo Ribeiro , promulgou e sancionou a lei em 11 de agosto de 1964 , publicamente, em solenidade realizada no salão nobre da Escola Industrial Sales Gomes , por ocasião do encerramento da ” Semana da Música “, evento organizado pelo Conservatório local.

Letra de Paulo Cerqueira Luz
Música de Maria Ruth Luz

Tatuí, Cidade Ternura, terra querida onde vivemos
Tens filhos de grandes méritos,
É justo que os louvemos:
Nas letras, Paulo Setúbal, recebeu seu galardão;
Na caridade, Chico Pereira, foi exemplo de cristão.

Estribilho:
No verde-esmeralda das melancias
No amarelo-ouro do abacaxi
Lembramos a Bandeira do Brasil
Nas colheitas de Tatuí.
Tatuí do XI de Agosto
Tatuí da Festa de São Jorge,
A ternura é a tua carga, o coração o teu alforje
A ternura é a tua carga, o coração o teu alforje

No progresso industrial, Manoel Guedes foi pioneiro;
Na música, Nacif e Bimbo brilharam no estrangeiro;
No pólo e no futebol, na justiça e na arte
No carnaval e no fandango, Tatuí fez estandarte.

Estribilho:
No verde-esmeralda …

Hino de Tatuí (cantado)

Hino de Tatuí (tocado)

Brasão e Símbolos…

Escudo português redondo coroado pela coroa natural da cidade. Cortado e partido, no primeiro quartel uma brisa, as armas de Cuiabá; montanha ao natural folheada de ouro em campo de sinople (verde).

Um tatu ao natural e um rio de blau (azul) em campo de ouro. A montanha das armas do Carmo, ao natural, com a sua cruz de prata e as suas estrelas, do mesmo metal, e uma lua crescente de prata tudo em campo de blau.

No segundo quartel, um castelo forte de outro sobre o fundo de goles (vermelho).

Timbre, um leão nascente de ouro com uma flor de lis de goles de espádua.

No listão azul inscreve-se em letras de ouro a divisa da cidade – PER ARDVA SURREXI (do latim, “Venceu pelo próprio esforço“).

Suportes – um ramo de café frutificado à destra e um ramo de algodão à sinistra.

No centro uma roda dentada tudo ao natural.

As armas de Cuiabá lembram a fundação da Vila São João do Benfica pelo bandeirante Paschoal Moreira Cabral.

O tatu e o rio constituem as armas falantes da cidade, traduzindo a etimologia da palavra Tatuhy.

As armas da ordem do Carmo recordam que as terras em que se ergueu a cidade foram uma Sesmaria do Carmo. A lua crescente é o símbolo de Nossa Senhora da Conceição, padroeira da cidade.

O castelo forte recorda a atitude dos tatuianos defendendo sempre a legalidade e sacrificando-se heroicamente nas lutas contra o Paraguai. O leão nascente e o timbre do brasão de armas concedido, em 1807, pelo príncipe D. João, a Manoel Rodrigues Jordão.

Os ramos de café e algodão recordam as duas principais culturas do município e a roda dentada é a representação das indústrias enquanto a divisa “PER ARDVA SURREXI” é a expressão legítima dos tatuianos que tudo fizeram e tem feito pelo seu esforço próprio.

Bandeira

A Bandeira Oficial do Município de Tatuí é representada pelo Brasão, com fundo branco.

Galeria de Prefeitos…

Joaquim de Paula Arruda
Luiz de Oliveira Leite Setúbal
1891 a 1892

Joaquim de Paula Arruda
Joaquim de Paula Arruda
1893 a 1895

Francisco de Salles Gomes
Francisco de Salles Gomes
1896 a 1898

Antônio da Rocha Freitas Leão
Antônio da Rocha Freitas Leão
1899 a 1901

Manoel Luís da Silva Sá
Manoel Luís da Silva Sá
1901 a 1903

Cândido José de OliveiraCândido José de Oliveira
1903 a 1918

Laurindo Dias MinhotoLaurindo Dias Minhoto
1918 a 1919

Martiniano Rodrigues Azevedo
Martiniano Rodrigues Azevedo
1920 a 1920

Norman Bernardes
Norman Bernardes
1920 a 1926

Nicolau Sinisgalli
Nicolau Sinisgalli
1927 a 1930

Joaquim Assunção Ribeiro
Joaquim Assunção Ribeiro
1930 a 1933

Oscar Augusto Silveira da Mota
Oscar Augusto Silveira da Mota
1932 a 1932

João Gândara MendesJoão Gândara Mendes
1933 a 1935

Firmo Vieira de Camargo
Firmo Vieira de Camargo
1935 a 1935

Deócles Vieira de Camargo
Deócles Vieira de Camargo
1935 a 1936

Benedito Pereira Machado
Benedito Pereira Machado
1936 a 1936

Joaquim Vieira de Campos
Joaquim Vieira de Campos
1937 a 1938

Antônio Tricta Júnior
Antônio Tricta Júnior
1938 a 1945

Rafael OrsiRafael Orsi
1945 a 1945

Francisca Pereira Rodrigues
Francisca Pereira Rodrigues
1945 a 1947

José Antônio Seabra
José Antônio Seabra
1945 a 1945

Fernando Guedes de Moraes
Fernando Guedes de Moraes
1947 a 1947

Antônio Tricta Júnior
Antônio Tricta Júnior
1948 a 1951

Aniz Boneder
Aniz Boneder
1951 a 1951

Alberto dos SantosAlberto dos Santos
1952 a 1955

Pompeo Realli
Pompeo Realli
1954 a 1954

Olívio Junqueira
Olívio Junqueira
1956 a 1959

João Baptista Lisboa
João Baptista Lisboa
1960 a 1963

Ari Villa Nova
Ari Villa Nova
1963 a 1963

Paulo Assumpção Ribeiro
Paulo Assumpção Ribeiro
1964 a 1967

Orlando Lisboa de AlmeidaOrlando Lisboa de Almeida
1968 a 1971

Paulo Assumpção Ribeiro
Paulo Assumpção Ribeiro
1972 a 1976

Olívio Junqueira
Olívio Junqueira
1977 a 1982

Dionísio de Abreu Neto
Dionísio de Abreu Neto
1979 a 1979

Joaquim Amado Quevedo
Joaquim Amado Quevedo
1983 a 1987

Wanderley Bocchi
Wanderley Bocchi
1988 a 1992

Joaquim Amado QuevedoJoaquim Amado Quevedo
1993 a 1996

Ademir Signori Borssato
Ademir Signori Borssato
1997 a 2004

Luiz Gonzaga Vieira de Camargo
Luiz Gonzaga Vieira de Camargo
2005 a 2012

José Manoel Correa Coelho
José Manoel Correa Coelho
2013 a 2016

Maria José Gonzaga
Maria José Gonzaga
2017 a 2021

Maria José Gonzaga
Miguel Lopes Cardoso Júnior
2021 a 2024

Dados Gerais…

1 – Caracterização do território

  • População (est. 2021) = 121.202 habitantes
  • Taxa de Urbanização (est. 2021) = 97,27 %
  • Taxa Geométrica de Crescimento Anual da População – 2010/2021 = 1,20 % a.a.
  • Densidade Demográfica (habitantes /km²) (est. 2021) = 231,45
  • Área Territorial = 523,75 km2
  • Altitude = 645 metros
  • Clima: Subtropical com verão quente Cfa (*)
  • Localização Geodésica = 23º 21’ 21” S e 47º 51’ 25” O

* As temperaturas são superiores a 22ºC no verão e com mais de 30 mm de chuva no mês mais seco. A temperatura média do mês mais quente é inferior a 22ºC.

Fonte: IBGE / Seade

2 – Habitação e Infraestrutura Urbana

Habitação e Infraestrutura Urbana Ano Município Reg. Gov. Estado
Coleta de Lixo – Nível de Atendimento (Em %) 2019 100 100 99,8
Abastecimento de Água – Nível de Atendimento  (Em %) 2019 98,8 98,6 98,5
Esgoto Sanitário – Nível de Atendimento
(Em %)
2019 100 100 93,1

Fonte: SNIS

3 – Estatísticas Vitais e Saúde

Estatísticas Vitais e Saúde Ano Município Reg. Gov. Estado
Taxa de Natalidade (Por mil habitantes) 2020 13,23 13,38 13,09
Taxa de Fecundidade Geral (Por mil mulheres entre 15 e 49 anos) 2020 49,02 48,93 48,14
Taxa de Mortalidade Infantil (Por mil nascidos vivos) 2020 14,98 11,66 10,93
Taxa de Mortalidade na Infância (Por mil nascidos vivos) 2020 12,98 14,34 12,80
Taxa de Mortalidade da População entre 15 e 34 Anos (Por cem mil habitantes) 2020 77,93 98,74 100,31
Taxa de Mortalidade da População de 60 Anos e Mais (Por cem mil habitantes) 2020 3.633 3.499 3.346
Mães Adolescentes (com menos de 18 anos) (Em %) 2020 11,11 10,46 10,43
Mães que Tiveram Sete e Mais Consultas de Pré-Natal (Em %) 2020 88,51 85,06 80,21
Partos Cesáreos (Em %) 2020 62,92 59,47 58,80
Nascimentos de Baixo Peso (menos de 2,5kg) (Em %) 2020 9,11 9,13 9,37
Gestações Pré-Termo (Em %) 2020 12,42 11,25 11,26

Fonte: DATASUS / IBGE (est. 2020)

4 – Condições de Vida

Condições de Vida Ano Município Reg. Gov. Estado
Índice Paulista de Responsabilidade Social – IPRS – Dimensão Riqueza 2016/2018 37/37
Índice Paulista de Responsabilidade Social – IPRS – Dimensão Longevidade 2016/2018 66/65
Índice Paulista de Responsabilidade Social – IPRS – Dimensão Escolaridade 2016/2018 50/53
Índice Paulista de Responsabilidade Social – IPRS 2018 Grupo 4 – baixo nível de riqueza e indicadores intermediários de longevidade e/ou escolaridade
Índice de Desenvolvimento Humano – IDH 2010 0,752 0,783
Renda per Capita (Em reais correntes) 2010 673,96 625,16 853,75
Domicílios Particulares com Renda per Capita de até 1/4 do Salário Mínimo (Em %) 2010 6,26 6,58 7,42
Domicílios Particulares com Renda per Capita de até 1/2 Salário Mínimo (Em %) 2010 17,85 21,03 18,86

Fonte: Seade / IBGE (2010)

5 – Educação

Educação Ano Município Reg. Gov. Estado
Taxa de Analfabetismo da População de 15 Anos e Mais (Em %) 2010 4,25 5,15 4,33
População de 18 a 24 Anos com Ensino Médio Completo (Em %) 2010 53,61 52,04 58,68

Fonte: IBGE 2010

6 – Emprego e Rendimento

Emprego e Rendimento Ano Município Reg. Gov. Estado
Participação dos Empregos Formais da Agricultura, Pecuária, Produção Florestal, Pesca e Aquicultura no Total de Empregos Formais (Em %) 2020 5,4 6,4 2,6
Participação dos Empregos Formais da Indústria no Total de Empregos Formais (Em %) 2020 27,8 29,9 19,0
Participação dos Empregos Formais da Construção no Total de Empregos Formais (Em %) 2020 2,1 3,5 4,7
Participação dos Empregos Formais do Comércio Atacadista e Varejista e do Comércio e Reparação de Veículos Automotores e Motocicletas no Total de Empregos Formais (Em %) 2020 64,7 60,2 73,7

Fonte: Seade

Dados Atualizados em 11/01/2022

Skip to content