OBRAS DO MIS JÁ DEVEM TER INÍCIO NOS PRÓXIMOS DIAS

As obras para adequação do prédio histórico que irá abrigar o MIS (Museu da Imagem e do Som) devem ter início na próxima semana. Na quinta-feira, 16 de julho, a prefeita Maria José Vieira de Camargo visitou o local, acompanhada por engenheiros e arquitetos.

Dia 6 de julho, a prefeita assinou a ordem de serviço para o início das obras e adequações junto ao antigo prédio do Matadouro Municipal, situado na Avenida Domingos Bassi, esquina com a Avenida João Batista Correia Campos, prédio que deverá abrigar o MIS de Tatuí.

Participaram deste ato o secretário municipal de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude, Cassiano Sinisgalli, o gestor municipal de Convênios e Contratos, Aleksander Chaves dos Santos, e os representantes da empresa Santenge Construções e Serviços, que será responsável pela execução da obra, Pedro Batista Rosa e José Waldir Nunes.

Os recursos que serão investidos na construção do MIS, cerca de R$ 315 mil, são provenientes do Fundo Estadual de Melhorias dos Municípios Turísticos, sendo esse mais um recurso estadual que foi garantido ao município, pelo fato de Tatuí ter sido elevada a Município de Interesse Turístico (MIT), em 31 de maio de 2017, de acordo com a Lei Estadual nº 16.429/2017.

Sobre o MIS – Em 2017, quando a Prefeitura de Tatuí fez a reconstrução da ponte do Jardim Junqueira, foi localizado, por um grupo de trabalho, um local que, ao ser realizada uma pesquisa histórica, abrigou o primeiro Matadouro Municipal. A prefeita Maria José Vieira de Camargo, imediatamente sentiu a necessidade de um restauro e de uma revitalização neste prédio histórico, já que lá havia portas de folha de madeira fixa, uma série de ganchos chumbados na parede – usados para pendurar peças de carne bovina – e tijolos com características e dimensões únicas.

Desta forma, traçou-se um planejamento para que este imóvel, de grande valor histórico, fosse sede do MIS (Museu da Imagem e do Som) de Tatuí. O processo de restauro do antigo Matadouro, assinado pela arquiteta Veridiana Pettinelli, começou do mesmo modo que uma demolição: de cima para baixo. Por isso, a equipe trabalhou, em um primeiro momento, no telhado, repondo o madeiramento que apodreceu, aplicando cupinicida, trocando ripamentos e telhas. A meta foi deixar o telhado totalmente seguro para, depois, descascar as paredes. A proposta foi “desnudá-las”, revelando o material original.

Após esta etapa, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, tendo recebido o título de Município de Interesse Turístico (MIT), apresentou o Projeto de finalização do restauro e da criação de uma sala multiuso e de banheiros, para a ampliação do espaço. Com isso, foi criado um projeto com um anexo, para que o mesmo não interfira no prédio do Matadouro. Esta etapa será realizada agora, após a assinatura da ordem de serviço.

Outro fator que já está em desenvolvimento é o projeto expográfico do MIS, a cargo da Arquiprom, em parceria com a Narrativa Um, que em 2009 realizou a expografia do Museu Histórico “Paulo Setúbal”. Essa parte do projeto está em fase de captação de recursos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

A Lei Municipal nº 5.286, que dispõe sobre a criação do Museu da Imagem e do Som (MIS) do município de Tatuí e dá outras providências, foi sancionada em 5 de setembro de 2018.