EM NOVA ETAPA DE OPERAÇÃO CONJUNTA, SUSPEITO DE VENDER LOTEAMENTOS CLANDESTINOS É PRESO PELA GCM DE TATUÍ

A Guarda Civil Municipal de Tatuí (GCM) realizou, nesta quinta-feira (25/07), em conjunto com a Polícia Civil e o Instituto de Criminalística, mais uma etapa da “Operação Lote Clandestino”, que investiga a venda de lotes supostamente irregulares na cidade. Dessa vez, a Operação foi realizada no bairro Boa Vista, e resultou na condução de oito pessoas à delegacia, dentre elas o proprietário dos lotes.

Segundo a GCM, até o momento, foram ouvidos dois pedreiros e seis compradores dos lotes supostamente ilegais, sendo liberados em seguida. Já o proprietário dos terrenos foi indiciado por crime ambiental e parcelamento do solo urbano, o que também caracteriza crime contra a administração pública, e permaneceu à disposição da Justiça.

Início da Operação – No último dia 16/07, a Guarda Civil Municipal de Tatuí (GCM), em conjunto com as polícias Civil e Ambiental, com o Instituto de Criminalística, e com os Departamentos de Fiscalização e de Meio Ambiente da Prefeitura de Tatuí iniciou a “Operação Loteamento Clandestino” no bairro dos Mirandas. Oito pessoas foram ouvidas e três delas foram indiciadas por crime ambiental e pelo parcelamento indevido do solo, permanecendo à disposição da Justiça.

Na ocasião, foram constatadas duas graves irregularidades: a primeira, degradação ambiental, e a segunda, uma suposta comercialização de loteamentos clandestinos em uma área de, aproximadamente, 6,5 alqueires, nas imediações do Rio Sarapuí.

De acordo com a GCM, o suposto loteamento, que já havia sido embargado pela Prefeitura de Tatuí, continuava sendo comercializado e, por esse motivo, foram lavrados autos de infração ambiental por intervenção em área de Proteção Permanente (APP).