LIVRO QUE DESCREVE AS PINTURAS DA BASÍLICA DE TATUÍ SERÁ LANÇADO NESTA QUINTA, NO MUSEU “PAULO SETÚBAL”

Seminarista Leonardo Costa de Camargo Barros é o autor do livro “A arte que nos catequiza”.

O Museu Histórico “Paulo Setúbal”, da Prefeitura de Tatuí, receberá na noite desta quinta-feira (3 de novembro), às 19h, o lançamento do livro “A arte que nos catequiza”, que foi escrito pelo seminarista Leonardo Costa de Camargo Barros. 

Lançado em comemoração aos 200 anos do trabalho católico em Tatuí, a obra retrata e descreve as belas pinturas presentes na Basílica Santuário Nossa Senhora da Conceição templo católico mais antigo do Município, com o intuito de explicar para as pessoas seus significados, usando como fonte o Magistério da Igreja e as falas de santos da Igreja Católica.

O reitor da Basílica, padre Élcio Roberto de Góes, deseja que o livro “seja útil e ao mesmo tempo um presente para todos aqueles que o tomarem em suas mãos. Que o conhecimento e o estudo de cada detalhe aqui narrado possa esclarecer e fortalecer a fé de todos os leitores”.

O Museu Histórico “Paulo Setúbal” está situado na Praça Manoel Guedes, nº 98, Centro. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (15) 3251-4969.

Sobre o escritor – Leonardo iniciou seu caminho de discernimento aos 14 anos de idade, junto aos frades franciscanos da Ordem dos Frades Menores, no Seminário Santo Antônio, de Agudos (SP), onde fez o Ensino Médio. Em seguida, suspendeu o percurso vocacional para aprimorar seus estudos, ocasião na qual graduou-se em Direito.

Sentindo fortemente os anseios e as necessidades do povo cristão no Médio Oriente, e atendendo a um convite dos Frades Franciscanos da Custódia da Terra Santa, em Jerusalém, partiu em missão em meados de agosto de 2018, sendo sua missa de envio realizada aqui, no então Santuário.

Permaneceu por um ano em Belém, na Palestina, onde realizou diversos trabalhos voluntários com os cristãos e, sentindo fortemente o reaflorar do ardor vocacional, reiniciou seu percurso de formação junto aos frades.

Em Montefalco, cidade próxima a Assis, realizou o primeiro ano de Postulantado e no Convento do Santo Monte Alverne, na Toscana, fez seis meses de Noviciado, percurso no qual os candidatos fazem a opção por ingressar efetivamente na Ordem ou seguir outro caminho.

Como é próprio do caminho vocacional, discernindo em oração, decidiu voltar ao Brasil e dar continuidade ao seu percurso junto de seu povo, e próximo de suas origens, em nossa Diocese de Itapetininga.

Compartilhe:

Skip to content