TATUÍ LIDERA RANKING NACIONAL PARA UNIVERSALIZAÇÃO DO SANEAMENTO

Tatuí lidera, a nível de Brasil, a edição 2020 do Ranking Abes da Universalização do Saneamento, na categoria “Compromisso com a Universalização do Saneamento”. A Abes é a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental. Divulgado anualmente, o Ranking Abes da Universalização do Saneamento, em sua quarta edição, apresenta o percentual da população das cidades brasileiras com acesso aos serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto e coleta e destinação adequada de resíduos sólidos. Considerando a pontuação em cada item, o estudo identifica o quão próximo cada município está da universalização do saneamento. Para todas as bases foi considerado 2018 como ano de referência.

A edição 2020 do ranking da Abes reúne 1.857 cidades, representando cerca de 70% da população do país e mais de 33% dos municípios brasileiros que forneceram dados ao Sistema Nacional de Informações de Saneamento (SNIS). O documento completo pode ser consultado no site da Abes. 

Segundo os dados divulgados, hoje Tatuí tem 100% de abastecimento de água, 93,25% de coleta de esgoto, 96,26% de tratamento de esgoto, 98,73% de coleta de resíduos sólidos e 100% de destinação adequada de resíduos. A pontuação é de 488,24. Os demais municípios, melhores classificados por ordem neste ranking, são: Votorantim (SP), Vitória da Conquista (BA), Ituiutaba (MG), Campina Grande (PB), Araxá (MG), Brasília (DF), Assis (SP), Várzea Paulista (SP) e Bel Horizonte (MG).

Investimentos – Adriano Branco, gerente da Sabesp em Tatuí, comentou a respeito do novo ranking da Abes. Destacou o investimento que está sendo realizado atualmente pela companhia, em parceria com a Prefeitura de Tatuí, para ampliar a distribuição de rede de água (R$ 11,3 milhões para renovar a rede de água em 24 quilômetros e construção de um reservatório no Jardim Paulista; além de levar água para o bairro dos Fragas e Bambuzal). Citou que a área urbana de Tatuí já tem quase 100% do esgoto coletado e o que falta, no Jardim Novo Horizonte, já existe projeto de execução. Branco ainda disse que contribuiu para os avanços nos dados, a ampliação do sistema de coleta e afastamento para o tratamento de esgoto e obras nos coletores troncos do Ribeirão do Manduca e dos córregos do Lavapés e Ponte Preta.