“DIA D” DE INTENSIFICAÇÃO DA VACINA CONTRA A FEBRE AMARELA TEM BAIXA PROCURA EM TATUÍ, E VACINA CONTINUA DISPONÍVEL ATÉ 12 DE JULHO

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Tatuí, por meio da Vigilância Epidemiológica, promoveu, no último sábado (29/06), o “Dia D” de Intensificação da Vacina contra a Febre Amarela. A Vigilância Epidemiológica permaneceu aberta das 8h às 16h, e uma equipe esteve de plantão, para atender pessoas que ainda não haviam recebido a dose única da vacina, recomendada pelo Ministério da Saúde.

Durante todo o dia, apenas 26 pessoas compareceram para receber a dose da vacina, um índice considerado muito baixo pela equipe da Vigilância Epidemiológica de Tatuí, que informou que, além de Tatuí, cidades vizinhas também tiveram baixa procura pela dose da vacina.

Vacina continua disponível em Tatuí – A Intensificação da Vacina contra a Febre Amarela em Tatuí segue até o próximo dia 12/07 (sexta-feira). A Vigilância Epidemiológica informa que, assim como no “Dia D”, podem se vacinar crianças de 9 meses até adultos menores de 60 anos de idade, e pessoas acima de 60 anos de idade apenas com pedido médico.

A vacinação ocorre em todas as Unidades Básicas de Saúde urbanas do município, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. A única exceção é a UBS “Aída Rodrigues Mota”, do bairro Santa Cruz, que atende apenas até às 13h.

Para se vacinar, basta levar a Carteira de Vacinação e o Cartão SUS. Vale lembrar que a dose plena da vacina, que está sendo oferecida nesta ação de intensificação, tem duração para toda vida.

Em Tatuí, não há casos de Febre Amarela registrados no ano de 2018 e também até o momento. Os sintomas iniciais da Febre Amarela incluem: início súbito de febre; calafrios; dor de cabeça intensa; dores nas costas; dores no corpo em geral; náuseas e vômitos; fadiga e fraqueza.

A doença é causada por um vírus transmitido por mosquitos vetores, e possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano. O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa.

Para mais informações, entre em contato com a Vigilância Epidemiológica pelo telefone: (15) 3259-6358.