8ª FEIRA DO DOCE DEFINE ATRAÇÕES DO FESTIVAL “MAESTRO ANTÔNIO CARLOS NEVES CAMPOS”

No Festival que faz homenagem ao Maestro Neves, população poderá apreciar muita música de qualidade, com 23 grupos musicais, dos mais diversos gêneros.

A 8ª edição da Feira do Doce se aproxima e com ela o tradicional Festival Capital da Música “Maestro Antônio Carlos Neves Campos”, que desde 2017 integra a programação de um dos eventos turísticos mais importantes do estado de São Paulo, realizado pela Prefeitura de Tatuí, por meio da Secretaria de Esporte, Cultura, Turismo e Lazer.  

Durante os quatro dias de festa, que acontecerá de 7 a 10 de julho, além de se deliciar com os mais diversos tipos de doces, a população poderá apreciar muita música de qualidade, com 23 grupos musicais, dos mais diversos gêneros – como Samba, Rock, Pop, Jazz, Blues, Música Popular Brasileira (MPB) e Tradição e Raiz – que irão se apresentar no coreto da Praça da Matriz. 

No primeiro dia da festa, quinta-feira (07/07), às 11h, haverá a apresentação do “Doce Dueto”, com Maria Antônia Negrão (Piano) e Rogers Bertinotti (violino); às 12h30, será a vez da apresentação do Duo Natália Campos (Voz) e Joseval Paes (guitarra); às 14h, “Duo Gama”, com Ivanilda Gama (voz e violão) e Sidnei Gama (piano); às 15h30, Rose Araújo Trio; às 18h, Grupo de Percussão do Conservatório de Tatuí; e às 20h, fechando o primeiro dia do evento, o show ficará por conta da Banda Revoltrio. 

Na véspera de feriado e segundo dia de festa, sexta-feira (08/07), as apresentações também terão início às 11h, com a Big Band do Conservatório de Tatuí; às 13h, Julio Nassi Trio; às 14h30, Seresteiros Alados de Tatuí; às 16h, Grupo de Choro do Conservatório de Tatuí; e às 20h acontecerá a abertura oficial da Feira do Doce, com a Orquestra Sinfônica de Tatuí, que será regida pelo renomado pianista e maestro, João Carlos Martins. 

No feriado de 9 de julho (sábado), haverá as seguintes apresentações: às 11h, Orquestra Sinfônica do Centro Cultural Special Dog; às 12h30, Mistura Fina; às 14h, Ruby Woo; às 15h30, M. Medeiros Grupo de Choro; às 18h, Música Raiz do Conservatório de Tatuí; e às 20h, Banda Cherry Bomb. 

E no domingo (10/07), as apresentações terão início às 10h, com o “Duo Casa Forte”, formado por Mayara Rios (piano e voz) e Reginaldo César (trombone e percussão); às 13h é a vez da Jazz Combo do Conservatório de Tatuí; às 14h30, Flaviano Gomes e Banda; às 16h, Samba em Família; às 17h30, Banda Live By Night; e às 20h, o grande encerramento da 8ª Feira do Doce e do Festival Capital da Música “Maestro Antônio Carlos Neves Campos” , com a Bravo Electro e Ângelo Varella. 

Neste ano, a Feira do Doce conta com o apoio institucional da Associação Comercial e Empresarial de Tatuí (ACE), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), da Microrregião Turística “Raízes do Interior Paulista”, da Secretaria de Turismo e Viagens do Estado de São Paulo, do Conservatório de Tatuí, da Sustenidos – Organização Social de Cultura, da Fasternet e da Central de Rádio; e apoio cultural da Associação de Produtores de Doces de Tatuí (Aprodoce), do Sítio do Carroção, do McDonald´s, do Polo Industrial, do Centro Hípico, do Keke Empreendimentos, da Cooperativa de Consumo – COOP, da Clínica Cruzeiro, da BRZ Empreendimentos, do Caixa Aqui “JR Correspondente”, da Toyota Ramires, da Lucy Pet Shop, da Zillef Jeans e da Strufaldi – Pastilhas Cerâmicas. 

Feira do Doce – A Feira do Doce é um evento turístico, com foco no empreendedorismo, na geração de renda, na criação de novos negócios e no aumento da rede de contatos. O objetivo do evento é buscar o empreendedorismo dos produtores de doce, dando oportunidade para que os visitantes encontrem todas as guloseimas gastronômicas em um único lugar, promovendo o desenvolvimento turístico do município, conhecido como a “Terra dos Doces Caseiros”. 

Considerada o maior evento do segmento gastronômico doceiro do interior paulista, a Feira está incluída no Calendário Turístico do Estado de São Paulo, através da Lei Estadual nº 15.844/2015, e é reconhecida nacionalmente pelo SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. 

O evento vem ganhando cada vez mais visibilidade. Em 2017, passou a se chamar “Feira do Doce”, em vez da anterior “Festa do Doce”, para enfatizar o caráter empreendedor dos produtores de doce. Em 31 de maio do mesmo ano, a lei nº 16.429, fez com que o Governo do Estado de São Paulo classificasse Tatuí como um Município de Interesse Turístico (MIT), por seu grande potencial neste segmento. 

Um pouco de história – O Maestro Antonio Carlos Neves Campos nasceu em 23 de abril de 1948, e faleceu em 22 de outubro de 2013. Filho de Joaquim da Silva Campos e Therezinha Neves Campos, Antonio Carlos era o irmão mais velho de Joaquim Roberto, José Guilherme e Maria Cecília. Foi casado com Terezinha Ayres Cabral Campos, com quem teve o filho Antonio Carlos Cabral Campos. 

Nos estudos regulares, formou-se dentista pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Foi vereador de Tatuí na legislatura 1993/1996 e ocupou o cargo de secretário da Mesa da Presidência. Mas a música sempre foi sua paixão. O Maestro Neves tem um currículo artístico que dispensa maiores detalhes: formou-se em piano clássico pelo Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos, de Tatuí, em 1964, e concluiu sua formação básica na Potsdam Central School, em Nova York. Entre 1984 e 2008 ocupou o cargo de Diretor Artístico do Conservatório de Tatuí. Foi responsável pela implantação de vários cursos musicais e pela profissionalização dos conjuntos de música da escola Tatuiana. 

Durante sua gestão à frente do Conservatório de Tatuí, elevou esta instituição ao “status” de maior e melhor escola de música da América Latina. Desta forma, nada mais do que louvável a denominação deste pequeno trecho com seu nome, trecho este onde está localizado o Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí. 

Neves, com seu intenso trabalho no Conservatório ainda escrevia arranjos para músicos como Wagner Tiso, Altamiro Carrilho e Elba Ramalho. Também fez arranjos musicais para as principais orquestras brasileiras e, como maestro, regeu concertos no Brasil e no exterior. Sua produção musical foi intensa como arranjador, pianista e maestro, gravando três CDs com Toquinho. 

Além da direção do Conservatório de Tatuí, o Tatuiano foi coordenador geral do Festival de Inverno de Campos do Jordão, projetou o Programa de Apoio às Bandas (Pró-Bandas), da Secretaria de Estado da Cultura, criou o Festival de MPB de Tatuí e teve participação decisiva para implantação do Festival de Música de Ourinhos. 

Compartilhe:

Skip to content