TATUÍ PREPARA “HOSPITAL DE CAMPANHA” DURANTE PROVÁVEL “PICO” DA COVID-19

Tatuí terá seu “hospital de campanha”, se necessário, para o tratamento de pacientes com o COVID-19. O planejamento é realizado pela Secretaria Municipal de Saúde e prevê a ocupação da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) com eventuais pacientes com coronavírus. Podem ser disponibilizados até 42 leitos no “hospital de campanha”.

Hoje, a Santa Casa de Misericórdia de Tatuí dispõe de 22 leitos para o tratamento da COVID-19. Se houver a necessidade, o hospital pode chegar a disponibilizar até 54 leitos clínicos, de isolamento. Caso a ocupação dos leitos seja total, a partir então, a opção será a UPA, segundo a secretária Tirza Luíza de Mello Meira Martins. 

Há a possibilidade do “pico” de casos da doença ser entre maio e junho, segundo declarou ao programa “Fantástico”, da Rede Globo, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, no último domingo (12).

“No provável pico da doença vamos ocupar a UPA e os leitos da Santa Casa de Misericórdia de Tatuí não forem suficientes, utilizando nossos médicos e profissionais da saúde. A UPA já está sendo equipada e preparada para isso”, destacou a secretária.

Com relação ao uso da UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), a secretária destacou que a Santa Casa de Tatuí dispõe hoje de cinco leitos já habilitados para o tratamento do coronavírus, com respiradores. “Podemos estender para dez leitos, com respiradores, se for necessário. Há espaço físico para isso. Já enviamos a documentação à Diretoria Regional de Saúde (DRS), em Sorocaba”, disse Tirza.

Até a terça-feira (14), 13 pacientes testaram positivo para o COVID-19 em Tatuí. Onze deles já passaram pela quarentena e voltaram às atividades normais. Outros dois pacientes, duas mulheres em estado grave, estão internadas em UTI, uma na Santa Casa (66 anos) e a outra, no Hospital da Unimed (67 anos).

Doação – O Fundo Social de Solidariedade (FUSSTAT) mais uma vez está auxiliando a área da saúde. Foram entregues na última semana 54 cortinas que serão instaladas na UPA, que será o “hospital de campanha” no enfrentamento ao coronavirus. Trabalho conduzido pela presidente Sônia Ribeiro, com participação das coordenadoras Graça Lima e Cris Gonçalves e das professoras Selma, Delma, Silvia e Fernanda.