NOITE DA SERESTA SERÁ COM O “ARRAIÁ DO MUSEU” E HOMENAGEARÁ HÉLIO BEIJO FRIO

O Museu Histórico “Paulo Setúbal”, equipamento cultural da Prefeitura de Tatuí, realizará nesta sexta-feira (22/06), às 19h, a tradicional Noite da Seresta que estará em clima junino com o “Arraiá do Museu” e homenageará o radialista Hélio Beijo Frio.

A noite será animada pelo Grupo Seresteiros com Ternura, coordenado por Maria Inês Camargo e composto por Leo da Sanfona, no acordeon; Pedro Adilson Pavanelli, no violão; Paulo Rita Aguiar, no cavaquinho; Carlos Mendes, na timba e Maria Inês Camargo, na voz.

A festividade será extramuros e terá a participação do Grupo Tropeirinhos do Rancho e da Quadrilha do Projeto Envelhecer com Qualidade de Vida.

O Museu Paulo Setúbal está situado na Praça Manoel Guedes, nº 98, Centro. Mais informações pelo telefone: (15) 3251-4969.

Aurélio Serrão Corrêa – Popularmente conhecido como Hélio Beijo Frio, tatuiano, natural do bairro Guaxingú, nasceu em 8 de setembro de 1949, filho de José e Maria Concilia (In memoriam). Seu nome popular surgiu por causa da Sorveteria Beijo Frio, a qual foi proprietário durante 18 anos. A mesma ficava localizada na Rua XI de Agosto e, depois, na Rua José Bonifácio. Então, devido ao nome da sorveteria, Aurélio ficou conhecido por Beijo Frio.

Nos anos 80, Tatuí vivenciava seus melhores momentos na realização dos rodeios e, por esse motivo, Hélio foi um dos responsáveis pela criação do Clube de Rodeio Tatuiano. Ele também foi apresentador do Torneio Estadual de Cururu, promovido pelo Conservatório de Tatuí.

Iniciou suas atividades como radialista na Rádio Notícias de Tatuí, em 1998, apresentando o “Roda de Violeiros”, programa dividido em duas partes, com cururu e duplas sertanejas. Foi assim que Helinho conseguiu divulgar a música sertaneja raiz e os costumes de nosso povo, enaltecendo a cultura e preservando a memória.

Atualmente, Helinho também apresenta o programa “Tarde Total”, que divulga a música de tradição e raiz pela Rádio Notícias de Tatuí.

Sempre envolvido em causas nobres e sociais, o tatuiano carrega a cidade em seu coração e é um amigo que reconhece o valor dos amigos. “Alegre, apesar dos percalços da vida, sua estatura é pequena, mas o seu coração é do tamanho do mundo”, define o amigo Luiz Antônio Voss Campos.