COMEÇAM AS OBRAS PARA PAVIMENTAR COM LAJOTAS ECOLÓGICAS DOZE RUAS DO JARDIM WANDERLEY

A Prefeitura de Tatuí começou nesta quarta-feira (21) a pavimentação de doze ruas do Jardim Wanderley, que irão receber as chamadas lajotas ecológicas, nos mesmos moldes do serviço já executado na Vila Dr. Laurindo. Com as fortes chuvas registradas de janeiro a março deste ano e a falta de manutenção das vias públicas nos últimos quatro anos, ruas e avenidas ficaram muito prejudicadas. Com a medida, que agradou a população, a Prefeitura local espera que a conservação das vias públicas, seja de um maior tempo, com reparos mais simples e eficazes.

As ruas que irão receber as lajotas ecológicas no Jardim Wanderley são as seguintes: Farhan Sallum, Martinho A. Carriel, Frederico de Camargo, Farmacêutico Francisco Nogueira, Maria de L. Sinisgalli, José Aguiar Rost, Eziel R. Hungria, Adelaide L. Moreira, Celso Patrício, Eurides R. Tavares de Almeida, Lauro M. Proença e Odilon C. Barros. Serão investidos aproximadamente R$ 1,3 milhão. O novo trecho de pavimentação com lajotas tem uma área de 25.586,80 m2.

Vila Dr. Laurindo já recebeu lajotas ecológicas – A pavimentação com lajotas na atual administração começou pela rua Prefeito Antonio Tricta Júnior, a partir da Avenida São Carlos, até a rua 7 de Setembro, passando pelas ruas Joaquim de Paula Arruda e Francisco Bernardes e Avenida Senador Laurindo Dias Minhoto, no trecho a partir do Clube da 3º Idade.

PREFEITURA INICIA REMOÇÃO DE CANTEIRO DA AVENIDA POMPEO REALI E FARÁ DRENAGEM

Conforme resultado da Audiência Pública realizada no último dia 29 de maio, com os moradores e comerciantes dos arredores da Avenida Vice-Prefeito Pompeo Reali, começou na quinta-feira (08) a remoção do canteiro central.

Problemas foram encontrados na obra e justificados na audiência pública, inclusive através de laudos técnicos: não há drenagem na avenida (repercute em toda a via e na Ponte do Marapé, diante do grande volume de água em períodos de chuva), sinalização inadequada, iluminação pública incorreta e a não existência de projeto de mobilidade urbana.

A Prefeitura de Tatuí pediu a readequação do convênio com a Casa Civil nesta semana. O saldo existente da obra – cerca de R$ 200 mil – será aplicado nas adequações da rotatória projetada antes da Ponte do Marapé, sentido bairro-centro.

O entulho do canteiro central será utilizado para a recuperação de estradas rurais. Na segunda-feira (12), se não chover, será iniciado os serviços para implantação da linha de tubos, no local onde estava o canteiro central. A obra será realizada em etapas, para que a avenida não seja interrompida em seu total, uma das reivindicações apresentadas na audiência pública.

CONTRATO PARA CONSTRUÇÃO DA PONTE DO JARDIM PAULISTA É ASSINADO

Começou na sexta-feira, dia 2, a demolição da antiga ponte do Jardim Paulista, serviço que precisa ser realizado para o início das obras de construção da nova ponte. O contrato com a empresa Rone Engenharia, Projetos, Construções e Comércio Ltda. já foi assinado entre os representantes da empresa e a prefeita Maria José Vieira de Camargo. O valor da obra é de R$ 644.940,43, com prazo de 150 dias para ficar pronta, após a devida Ordem de Serviço.

A ponte do Jardim Paulista foi interditada parcialmente no dia 10 de janeiro de 2017. No dia 18 do mesmo mês, a ponte foi interditada definitivamente. Em fevereiro, a Prefeitura dez a construção de uma ponte de madeira, de forma provisória, para atender os moradores do bairro. Em abril, o Ministério da Integração Nacional liberou R$ 1 milhão para nos auxiliar na reconstrução das pontes do Jardim Paulista e Jardim Junqueira.

Hoje, são três pontes em obras: Marapé (previsão de entrega entre julho/agosto), Jardim Junqueira (previsão de entrega entre outubro/novembro) e Jardim Paulista (previsão de entrega entre novembro/dezembro). Duas pontes já foram liberadas, após obras de restauração: Jardim Colina Verde (maio) e Bosques do Junqueira (março).

MORADORES PEDEM A REMOÇÃO DO CANTEIRO CENTRAL DA AVENIDA POMPEO REALI

Na segunda-feira, 29 de maio, aconteceu uma audiência pública que tratou de um assunto polêmico: as obras da Avenida Vice-Prefeito Pompeo Reali, que estão inacabadas. O convênio ainda não foi encerrado com o Governo do Estado e a Prefeitura de Tatuí quis ouvir os moradores e comerciantes do local e imediações sobre o assunto.

A audiência pública aconteceu na Itauto, uma concessionária de veículos que fica em um ponto estratégico da avenida. Na lista oficial de presentes, assinaram 163 pessoas. Através de uma transmissão ao vivo em rede social, aconteceram 2.338 visualizações, ao longo de todo o evento.

A abertura da audiência foi com a prefeita Maria José Vieira de Camargo. Em seguida, falaram o vice-prefeito Luiz Paulo Ribeiro da Silva, o presidente da Câmara Luiz Donizetti Vaz Júnior, os secretários municipais Luiz Gonzaga Vieira de Camargo (Governo) e Juliana Rossetto Leomil Mantovani (Planejamento e Gestão Pública). Logo após, o engenheiro Aleksander Chaves dos Santos (do Departamento de Convênios e Contratos) e a arquiteta Carolina Medeiros Cunha dos Santos (Secretaria de Obras e Infra-Estrutura) explicaram a obra em ordem cronológica, a partir da assinatura do convênio com a Casa Civil, em julho de 2015, no valor de R$ 925.000,00. O engenheiro Leonardo Spada falou sobre os laudos técnicos que apontam falhas na obra. Dois laudos foram apresentados ao público, um de engenharia e outro de mobilidade urbana.

A palavra foi aberta para que os presentes pudessem esclarecer dúvidas ou fazer críticas ou sugestões. Várias pessoas se manifestaram no microfone ou por papéis e a grande maioria criticou a obra, principalmente a construção do canteiro central, chamado de “churrasqueira”.

A população votou, quando indagada, pela remoção do canteiro central, em sua grande maioria. Os representantes da administração municipal ali presentes, diante da manifestação do povo, se comprometeram em apresentar nas próximas semanas um novo projeto para a avenida, com custo e execução viáveis.

A grande queixa dos moradores e comerciantes é que com as pontes no chão (Marapé e Junqueira) e a falta de planejamento na obra do canteiro central da avenida (sem drenagem e com alteração nos acessos), prejudicou demais o comércio e a mobilidade.

A obra está abandonada desde 2016, sem a finalização do convênio com o Governo do Estado. Há cerca de R$ 200 mil que ainda podem ser remanejados dentro do orçamento da obra para sua conclusão. Com a possível retirada do canteiro, o material deverá ser reutilizado para a manutenção de estradas rurais do município.

PREFEITURA COMEÇA A CONSTRUIR PONTE DO JARDIM JUNQUEIRA

A prefeita Maria José Vieira de Camargo assinou na última semana o contrato com a empresa CSC Engenharia e Construção Ltda. e, em seguida teve início a construção da nova ponte sobre o Ribeirão do Manduca, no Jardim Junqueira (rua Maria Aparecida Santi). Uma obra no valor de R$ 1.315.005,92. O prazo de construção é de 180 dias. Parte do dinheiro para a obra é de convênio com o Ministério das Cidades e a outra parte, recurso próprio da Prefeitura de Tatuí.

“Será uma ponte com quatro faixas, duas em cada sentido, maior do que a que caiu no início de janeiro, já projetada para atender o fluxo intenso de veículos deste local. Inclusive, com alteração no trajeto de localização da ponte, melhorando as condições de tráfego. As obras já estão acontecendo”, destacou a prefeita Maria José.

Ponte do Jardim Junqueira – Parcialmente interditada desde o dia 17 de dezembro de 2016, a ponte da rua Maria Aparecida Santi, que liga o Jardim Junqueira à Avenida Vice-Prefeito Pompeo Reali, veio ao chão definitivamente no último dia 5 de janeiro, após fortes chuvas. O trânsito desde então está interrompido no local. No dia 6 de janeiro, a prefeita Maria José decretou “Estado de Emergência” (180 dias), situação que depois foi homologada pela Defesa Civil do Estado de São Paulo (em 19/01) e pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, órgão da União (25/01). No dia 11 de janeiro, a Prefeitura de Tatuí removeu do leito do Ribeirão do Manduca os escombros da ponte. No dia 12 de abril, a Prefeitura de Tatuí recebeu foi comunicada pelo Ministério da Integração Nacional, da liberação dos recursos para as construções das pontes do Jardim Junqueira e Jardim Paulista. O valor é de R$ 1 milhão para a construção das duas pontes (cerca de R$ 600 mil para a ponte do Jardim Junqueira e cerca de R$ 400 mil para a ponte do Jardim Paulista).

IÇAMENTO DAS VIGAS DA PONTE DO MARAPÉ DEVE ACONTECER NA SEGUNDA QUINZENA DE JUNHO

Técnicos da Defesa Civil do Estado de São Paulo estiveram em Tatuí na última semana para fiscalizar o andamento das obras da Ponte do Marapé, sobre o Ribeirão do Manduca. E concluíram que elas seguem o cronograma proposto. Segundo o engenheiro da Prefeitura de Tatuí, João Batista da Costa, da Defesa Civil local e que acompanhou a fiscalização dsa construção, a obra está 46% concluída, segundo a última medição.

Agora, chegou a fase final do reaterro da cabeçeira do lado do posto de combustíveis (Avenida Pompeo Reali). A concretagem da sexta viga aconteceu no último dia 15, segunda-feira, com previsão da concretagem da décima segunda (e última) no próximo dia 22. Após 28 dias de "cura do concreto", entre os dias 20 e 21 de junho, é a previsão para o içamento das vigas na ponte e, ainda no dia 22 de junho começa o içamento das pré-lages.

Nesse período, segundo o engenheiro civil da empresa contratada, Paulo Wesley de Camargo Soares, estarão sendo executados os seguintes serviços: as duas vigas tranversinas; os muros-ala; dissipadores de energia e o reaterro do lado da rua Capitão Lisboa, entre outros.

Ponte do Marapé – A obra na Ponte do Marapé começou no dia 10 de março, com prazo de 120 dias. Ela ficou abandonada desde outubro de 2016 e para reiniciar a obra, a Prefeitura de Tatuí precisou romper o contrato com a empresa vencedora de licitação pública e que não vinha cumprindo o cronograma que estava estabelecido. A segunda colocada assumiu a obra. A Ponte do Marapé veio ao chão em 10 de março de 2016, após fortes chuvas e uma interdição parcial, realizada pela administração anterior.

PREFEITURA INICIA OBRAS DE DRENAGEM PARA MELHORAR PAVIMENTO E CONSERVAÇÃO DE RUAS

A Prefeitura de Tatuí deu início neste mês de maio a uma série de obras de drenagem para poder melhorar a pavimentação e conservação de ruas e avenidas. São locais onde as fortes enxurradas das chuvas de verão prejudicam a via pública, abrindo constantemente buracos e outras situações.

Um dos locais em obras é a rua Cel. Lúcio Seabra, no Centro. A rua no trecho em obras é pavimentada por lajotas. Uma obra de tubulação e drenagem está sendo realizada. Depois a Secretaria de Obras e Infra-Estrutura deverá cobrir a rua com lajotas e fazer os rejuntes necessários com piche.

Outra obra iniciada foi a construção de uma boca de lobo (drenagem) na Via Benedito Faustino da Rosa, perto da APAE. Uma obra necessária, segundo a Secretaria de Obras e Infra-Estrutura, para a devida reparação do asfalto, neste trecho, que também sofre com a enxurrada, em dias de chuva.

Recentemente, outra obra de drenagem realizada foi o reparo de galerias pluviais na Praça Ayrton Senna, na Vila Dr. Laurindo. Um buraco formou-se em março, após forte chuva, com o rompimento da galeria. O local ficou em obras durante seis dias, para os devidos reparos.

Avenida Vice-Prefeito Nelson Fiúza – A Prefeitura de Tatuí notificou o proprietário de um loteamento na Avenida Vice-Prefeito Nelson Fiúza para realizar a devida drenagem da via pública (já que o mesmo construiu um grande empreendimento e por isso aumentou o fluxo de veículos nesta região da cidade).

As obras no início desta semana começaram no trecho ao lado do Supermercado Barbosa (via de pouco movimento hoje por conta de obras nas pontes do Marapé e Jardim Junqueira), próximo ao Ribeirão do Manduca. Depois, as obras de drenagem seguirão pela Nelson Fiuza e o trânsito será interrompido, de 30 a 45 dias.

Por isso, segundo informa o Departamento de Mobilidade Urbana, os moradores da região e motoristas que utilizam esta via precisam entender o que está acontecendo ali. é uma obra de drenagem importante, para evitar buracos e grandes enxurradas, em períodos de chuva, como em janeiro e fevereiro, muito comuns. As devidas sinalizações serão realizadas. Depois de concluída a drenagem, A Secretaria de Obras e Infra-Estrutura irá providenciar a pavimentação novamente de todo o trecho afetado.

PREFEITURA ANUNCIA QUE IRÁ PAVIMENTAR RUAS DO JARDIM WANDERLEY COM LAJOTAS ECOLÓGICAS

A prefeita Maria José Vieira de Camargo anunciou no início desta semana que doze ruas do Jardim Wanderley terão nova pavimentação, com as chamadas lajotas ecológicas, nos mesmos moldes do serviço já executado na Vila Dr. Laurindo. Com as fortes chuvas registradas de janeiro a março deste ano e a falta de manutenção das vias públicas nos últimos quatro anos, ruas e avenidas ficaram muito prejudicadas. Com a medida, que agradou a população, a Prefeitura de Tatuí espera que a conservação das vias públicas, seja de um maior tempo, com reparos mais simples e eficazes.

As ruas que irão receber as lajotas ecológicas no Jardim Wanderley são as seguintes: Farhan Sallum, Martinho A. Carriel, Frederico de Camargo, Farmacêutico Francisco Nogueira, Maria de L. Sinisgalli, José Aguiar Rost, Eziel R. Hungria, Adelaide L. Moreira, Celso Patrício, Eurides R. Tavares de Almeida, Lauro M. Proença e Odilon C. Barros. Serão investidos aproximadamente R$ 1,3 milhão. No próximo dia 25 de maio, quinta-feira, haverá no Paço Municipal um processo licitatório para a contratação de empresa especializada em assentamento das lajotas, então o custo estimado da obra (baseado nas cotações de mercado) deve cair. O novo trecho de pavimentação com lajotas tem uma área de 25.586,80 m2. O serviço deve começar no mês de junho.

Vila Dr. Laurindo já recebeu lajotas ecológicas – A pavimentação com lajotas na atual administração começou pela rua Prefeito Antonio Tricta Júnior, a partir da Avenida São Carlos, até a rua 7 de Setembro, passando pelas ruas Joaquim de Paula Arruda e Francisco Bernardes e Avenida Senador Laurindo Dias Minhoto, no trecho a partir do Clube da 3º Idade. Todo esse serviço foi concluído na última semana.

PONTE DO JARDIM COLINA VERDE É LIBERADA PARA O TRÂNSITO DE VEÍCULOS E PEDESTRES

A Prefeitura de Tatuí liberou na quarta-feira, dia 10,o para o trânsito de veículos e pedestres, na ponte do Jardim Colina Verde (Ribeirão do Manduca – rua Nhô Inácio Vieira). Essa obra começou em 2015 e foi paralisada por irregularidades em 2016. Estava abandonada desde então.

A administração municipal retomou os serviços no início deste ano, inclusive pagando devidamente a empresa. A obra foi financiada com recursos do Governo do Estado (cerca de R$ 300 mil) e após a sua finalização, o município teve que aguardar os laudos técnicos da empresa e a liberação do espaço pela Casa Militar.

TATUÍ RECEBE CRÉDITO DE R$ 10 MILHÕES PARA OBRAS DE ASFALTO E INFRA-ESTRUTURA

Tatuí é uma das 10 cidades paulistas escolhidas para a primeira etapa do Programa Pró Transporte, uma ação do Ministério das Cidades (através da Caixa) e do Governo de São Paulo (através do Desenvolve SP). R$ 10 milhões para investimentos.

O acordo foi assinado na terça-feira, dia 9, pelo governador Geraldo Alckmin. Os dez municípios paulistas beneficiados foram: Atibaia, Barueri, Bebedouro, Fernandópolis, Itapira, Ribeirão Preto, Jundiaí, Suzano, Sertãozinho e Tatuí, que receberá R$ 10 milhões.

A prefeita Maria José Vieira de Camargo e o vice-prefeito Luiz Paulo Ribeiro da Silva estiveram presentes ao evento no Palácio dos Bandeirantes. Dez vereadores e o secretário de Governo, Luiz Gonzaga Vieira de Camargo também estavam presentes à cerimônia.

O recurso será uma linha de crédito inédita para os municípios aplicarem em sistemas de infraestrutura de transporte públicos.

O Pró-Transporte, programa da Desenvolve SP – Agência de Desenvolvimento Paulista – com a Caixa Econômica Federal, terá um total de R$ 165 milhões disponíveis em uma primeira fase do programa para a concessão de financiamentos, com juros de 9% ao ano, prazo de pagamento de até 6 anos e um ano de carência.

“Este dinheiro vai ser muito bem aplicado na mobilidade”, afirmou o governador Geraldo Alckmin. “Além do recapeamento, irá para novas avenidas, ligações importantes, abrigo de ônibus e ciclovias. Enfim, toda mobilidade urbana”, disse.

Alckmin também ressaltou a importância da liberação deste crédito logo no começo do mandato das prefeituras. “Investimento gera bastante emprego e é possível movimentar a máquina”, concluiu.

Entre os projetos financiados estão os de pavimentação de ruas, construção de viadutos e pontes, duplicação de avenidas e outras obras viárias com o objetivo de melhorar os sistemas de mobilidade urbana e de transporte municipais.

Emenda parlamentar – Maria José mostrou-se satisfeita com a linha de crédito obtida e destacou o trabalho do secretário Gonzaga para a obtenção dos recursos. Gonzaga ainda conseguiu do deputado federal Samuel Moreira, hoje secretário da Casa Civil, uma emenda parlamentar no valor de R$ 1,6 milhão, que também deverá ser aplicada na infraestrutura. Com o Plano de Trabalho já aprovado, a emenda aguarda a liberação dos recursos na Caixa, o que deve ocorrer nos próximos dias.