ÚLTIMA SALA DE SITUAÇÃO DA DENGUE DE 2022 DEBATEU AS AÇÕES REALIZADAS NO DECORRER DESTE ANO

11ª Sala de Situação da Dengue aconteceu no Paço Municipal.

Na sala de reuniões do Paço Municipal aconteceu, na manhã de quinta-feira (15/12), a 11ª Sala de Situação da Dengue – realizada pela Prefeitura de Tatuí, por meio do Setor de Combate à Dengue da Secretaria de Saúde, em parceria com a Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde.

No último encontro deste ano, foram apresentados 2 novos casos positivos de Dengue (notificados em 22 de novembro), ambos autóctones (contraídos no próprio município). Somados aos números do restante do ano, totalizam-se 22 casos de Dengue em Tatuí, dos quais 7 são autóctones e 15 importados. Destes 22 casos, 1 foi confirmado no mês de fevereiro, 3 em março, 5 no mês de abril, 5 em maio, 2 no mês junho, outros 2 em julho, 1 no mês de agosto, 1 em setembro e os 2 últimos em novembro. Em relação a Chikungunya, houve o registro de apenas 1 caso importado.

Nos primeiros 14 dias de dezembro, o Setor de Combate à Dengue fez 6.739 visitas à imóveis. Os números de visitas à imóveis foram expressivos também nos outros meses do ano: janeiro, 19.644; fevereiro, 21.934; março, 19.174; abril, 20.884; maio, 20.031; junho, 23.577; julho, 27.348; agosto, 30.683; setembro, 22.144; outubro, 22.642; e novembro, 20.667. 

Com isso, Tatuí conseguiu concluir os ciclos anuais estipulados pela Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde. Cada ciclo é referente a 80% de visitas aos imóveis cadastrados no município, divididos por regiões. Soma-se a cada ciclo, o trabalho de Avaliação de Densidade Larvária, feito trimestralmente, e o acompanhamento especial nos pontos estratégicos (ferro velhos, cooperativas de reciclagem, borracharias etc) realizado quinzenalmente e mensalmente, dependendo de cada lugar. “O mínimo exigido é a conclusão de 4 ciclos ao ano e há mais de 10 anos o município de Tatuí não atingia esta meta mínima. Hoje, graças ao trabalho em equipe, concluímos próximo de 6 ciclos. E a perspectiva para o ano de 2023 é a conclusão destes mesmos 6 ciclos”, comemorou a coordenadora do Setor de Combate à Dengue, Juliana Aparecida de Camargo da Costa.

Dentre as ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti, realizadas no período de 10/11 a 15/12, foram 63 demandas; 1.001 controle de criadouros e 191 nebulizações portáteis. Além disso, no dia 23/11, os Agentes de Controle de Endemias participaram de um treinamento teórico de nebulização com a Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde. E, entre os dias 21 e 26 de novembro, aconteceu a Semana Estadual de Combate à Dengue, com carreata de conscientização com carro de som em 24 bairros; distribuição de cartazes no comércio, em escolas particulares, centros profissionalizantes e faculdades; limpeza de um imóvel de um acumulador, na região central; e veiculação de material informativo sobre Dengue em jornais e redes sociais da Prefeitura.

Participaram do encontro representantes da Secretaria de Saúde, do Conselho Municipal de Saúde, da Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde, da Secretaria de Agricultura, Meio Ambiente e Bem-Estar Animal, da Secretaria de Direitos Humanos, Família e Cidadania, e dos Departamentos de Comunicação e de Fiscalização.

Cuidados – Com a proximidade do verão, também se aproxima o período de fortes chuvas no Estado de São Paulo e, com isso, a importância de um cuidado maior com o acúmulo de água em locais que possam contribuir com a proliferação do mosquito Aedes Aegypti. Entre estes cuidados básicos, estão: evitar o uso de pratinhos em plantas; manter caixas d’água bem tampadas e as piscinas devidamente tratadas e cloradas; verificar sempre os ralos; lavar diariamente bebedouros de animais; manter calhas limpas e livre de folhas; conservar o quintal bem organizado, de forma a não deixar recipientes que possam acumular água de chuva, vistoriando-o semanalmente.

A Prefeitura de Tatuí pede a colaboração de todos quanto à limpeza e à manutenção de terrenos e residências e salienta que as denúncias sobre possíveis criadouros do mosquito podem ser esclarecidas e/ou informadas para a Ouvidoria Municipal. O atendimento pode ser presencial (na Rua Júlia de Melo Machado, nº 270, Parque Industrial, sede da Secretaria de Serviços Públicos e Zeladoria), de segunda a sexta-feira das 8h às 17h; pelos telefones (15) 3251-3576 e 0800-770-0665; ou ainda pelo http://tatui.sp.gov.br/ouvidoria. 

Se, porventura, o cidadão apresentar sintomas das doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti (Dengue, Zika ou Chikungunya), é de extrema importância que procure uma Unidade de Saúde, para que receba o diagnóstico e o atendimento adequado.

Compartilhe:

Skip to content