CIA DE TEATRO “EXODUS ART’S” APRESENTARÁ, EM SUAS REDES SOCIAIS, O ESPETÁCULO “CADÊ MINHA MÃE?”

Na peça, Marcelo é um menino que passa o dia no celular, jogando com os amigos e ignorando os conselhos de sua mãe.

A Cia “Exodus Art’s” apresentará, neste fim de semana (dias 17 e 18/07) e, também, no 24/07 (sábado), sempre às 15h, o espetáculo teatral “Cadê minha mãe?”, que recebeu recursos da Lei Federal nº 14.017/2020, Lei Aldir Blanc (LAB), por meio do Decreto Municipal nº 20.657, de 16 de julho de 2020. A apresentação será realizada no Facebook e no Youtube da Cia de Teatro.

Na peça, Marcelo é um menino que passa o dia no celular, jogando com os amigos e ignorando os conselhos de sua mãe. O que ele não imaginava é que sua mãe iria desaparecer e, que ao procurar por ela, ele pudesse ter tantas descobertas, surpresas e aprendizados. Com a ajuda do Grilo Falante e da Branca de Neve, ele percorre as histórias, conhecendo vários personagens, aprendendo a apreciar e a perceber as infinitas possibilidades que um livro pode oferecer.

O elenco é composto por Beatriz Prado (madrasta), Bruno Dugois (lobo e grilo), Carol Crepaldi (mãe e Branca de Neve) e Cláudio Teles (Marcelo).

Sobre a Cia. Exodus Art’s – Foi fundada em 12 de outubro de 2013, por alunos do Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos”, de Tatuí, que estudavam no primeiro ano do curso de Artes Cênicas Adulto. Em janeiro de 2014, a companhia deu início as suas atividades, se inscrevendo para participar do Projeto “Ademar Guerra”, com o intuito de buscar um apoio artístico que pudesse orientar o grupo em seu início de vida e de trabalho.

O grupo realizou, então, o espetáculo “Rasga Coração” de Oduvaldo Vianna Filho. No ano seguinte, montou a peça “Bestialógicos Humanos”, baseada no texto “A história é uma Istoria”, de Millôr Fernandes. Em 2017, 2018 e 2019, produziram os espetáculos “Anexins”, “Era uma vez um Pangaré” e “Acima de qualquer suspeita”, respectivamente.

Além dos espetáculos, o grupo também conta com a intervenção “Trocamos abraços por histórias”, e alguns trabalhos realizados em parceria com o Museu Histórico “Paulo Setúbal”, da Prefeitura de Tatuí. Atualmente, realiza seus trabalhos de forma virtual, devido a pandemia da COVID-19, entre eles “Joaninha da Silva”, “Era uma vez um Pangaré” e “Cadê Minha Mãe?”.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Veja também:

Skip to content